terça-feira, fevereiro 15, 2005

Tipranavir no Hospital de Santa Maria?

As DUAS pessoas em Portugal com acesso ao TPV neste momento, através do EAP (programa de acesso ALARGADO...), estão a ser seguidas no Hospital do Barreiro, o único hospital português disposto a pagar este tratamento aos seus doentes.

Sabe-se que o Conselho de Administração do Hospital de Santa Maria pediu ao Prof. Antunes para "negociar" com a Boehringer Portuguesa sobre o destino dos seus 13 doentes a precisar urgentemente do TPV; dos outros hospitais portugueses, silêncio (que mata)...

De qualquer maneira, a decisão da Boehringer Portugal (em conjunto com o INFARMED) para fazer pagar o EAP nominativo é escandalosa. Nem a Roche o fez com o EAP do T-20.

Não se percebe porque é que a BI Portuguesa não seguiu o exemplo da BI Espanha, que não cobra nada aos hospitais pelos mais de 150 lugares (and counting...) no EAP espanhol.

Está na hora de denunciar este caso na comunicação social.

Comments:
Não podia estar mais de acordo ,ainda ontem dia 15 de Fev era para iniciar a trapeutica para o VHC com o Pegasos e teve o mesmo que ser adiado por motivo unico de ter que iniciar a trapia com o tipranavir ,uma vez que sem uma estabilidade da situação HIV ,o tratamento para o VHC que já de si tem uma taxa de sucesso baixa e grandes efeitos secundários .Baixa a taxa de sucesso quanto menor for a estabelidade da situação do HIV o que para mim infelizmente só pode ser alcansado com a inclusão do tipranavir na combinação trapeutica a que me tenho que sujeitar .
Por causa de toda esta situação veijo-me não só na situação de impedimento de um tratamento adequado para o HIV ,com um risco de estar a elevar a quantidade de virus HIV no sangue sem qualquer controlo, bem como e ai bem mais perigoso a sua qualidade ,pois o facto de estar a fazer uma trapeutica que não a adequada para a minha situação faz com que as mutações resistentes possam surgir com uma maior resistencia e dar origem as chamadas super mutações ,sim porque estas super mutações não surgem do nada, dentro do organismo quando os medicamentos não fazem o efeito para o qual estão destinados só servem para potencialisar as mutações existentes aumentando a sua agressividade bem como direcionando o virus da sida para uma nova mutação aumentando com isso as probabelidades de se tornar numa extripe resistente aos medicamentos ,obviamente que se uma pessoa na qual dentro do organismo se encontram estas estripes virais passar a infecção o outra ,as probabelidades de que o novo infectado esteija logo a partida resistente aos medicamentos aumentam podendo dar assim origem a pessoas que apesar de infectadas recentemente, apresentem alta resistencia aos medicamentos e com isso diminuir em grande as probabelidades de tentativa de controlar o virus da sida. Acho que por este motivo e quando existe a possibelidade de a evitar deviam de ser responsabilizados criminalmente quem para tal situação está a contribuir,é evidente que para aguns mercadores de medicamentos esta situação se apresenta como uma possibelidade de lucro a explorar, pois ao provocar o aparcimento de mutações resistentes aos medicamentos actuais têm sempre a possibelidade de nos vir vender mais tarde um medicamento para ajudar a controlar uma situação para a qual contribuiram de forma negativa ,pois como eu sei tambem os senhores da INDUSTRIA FARMACEUTICA sabem que até para os medicamentos mais recentes existem já mutações viricas resistentes aos novos medicamentos ,que são provocadas por uma utilização não atempada dos medicamentos e que cada dia que passa esse risco aumenta .Oxalá não venha alguem responsavel por esta situação a nessecitar de algo que esteija nas mãos de outrem ,e que esse outrem vos faça o mesmo que voces hoje estão a fazer a dezenas ou centenas de doentes no nosso País ,embora por vezes a vontade que tenha é a de que passem por aquilo que estou a passar.

Nuno Fernades
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Enter your email address below to subscribe to Blog do GAT!


powered by Bloglet